Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Caloura de jornalismo é estupr4da e m0rta durante festa em Universidade Federal

Brasil – Uma estudante de jornalismo foi encontrada morta na Universidade Federal do Piauí (UFPI) na manhã do sábado (28). Identificada como Janaína da Silva Bezerra, 22 anos, a jovem teria participado de uma calourada na instituição antes do crime.

Segundo  laudo do Instituto de Medicina Legal do Piauí foram encontrados indícios de violência sexual e que a causa da morte foi um “trauma raquimedular [lesão na medula] por ação contundente”. O diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Francisco Baretta, afirmou ao UOL que houve estupro.

Um homem que estava com a vítima foi preso sob suspeita de feminicídio e estupro. Segundo a Polícia Civil, o rapaz afirmou que já teria “ficado” com Janaína outras vezes. Em depoimento, o homem afirmou que por volta das 2h chamou a jovem para sair da calourada e ir a uma sala da universidade, onde teriam, segundo ele, praticado sexo consensual, e que “após a prática sexual, a vítima teria ficado desacordada”.

A Polícia Civil pediu a prisão preventiva do suspeito. Segundo o DHPP, o inquérito policial será concluído em até 10 dias.

Em nota, o Diretório Central dos Estudantes do DCE UFPI informou que a estudante foi encontrada desacordada por um profissional da instituição no Centro onde fica o DCE e foi encaminhada ao hospital.

<strong>Suspeito preso</strong>

A Justiça decidiu manter preso por tempo indeterminado o suspeito de estuprar e matar a estudante de jornalismo Janaina da Silva Bezerra, 21, da UFPI (Universidade Federal do Piauí). O caso ocorreu durante uma calourada na faculdade, em Teresina, entre sexta-feira (27) e sábado (28).

O suspeito, Thiago Mayson Barbosa, 29, é estudante do mestrado em matemática da UFPI. Preso ontem em flagrante, ele foi ouvido em audiência de custódia neste domingo.

Um laudo do IML (Instituto de Medicina Legal) do Piauí apontou indícios de violência sexual contra Janaina. O diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Francisco Baretta, afirmou que houve estupro.

A causa da morte foi “trauma raquimedular [lesão na medula] por ação contundente”. A lesão pode ter sido causada por pancada, que teria torcido ou traumatizado a coluna vertebral, conforme a médica legista.

Uma das possibilidades investigadas é a ação das mãos no pescoço da vítima “com intuito de matar ou fazer asfixia, queda, luta”.