Connect with us

Amazonas

CPI da Saúde ouve médico do CRM que atestou falta de estrutura em hospital referência montado pelo Governo do AM durante pandemia

Publicado

em

Estava previsto ainda o depoimento da dona da empresa contratada para prestar serviços de lavanderia para o Hospital da Nilton Lins, mas a comissão não conseguiu fazer a notificação.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde dá sequência aos trabalhos nesta quinta-feira (16) com o depoimento do conselheiro Ricardo Góes Figueiras, do Conselho Regional de Medicina (CRM). O médico deve depor às 15h, na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), em Manaus. Ele foi convidado pela comissão por ter atestado que o Hospital Nilton Lins estava sem capacidade estrutural para receber pacientes com Covid-19 quando foi inaugurado em abril.

Estava previsto ainda o depoimento de Criselidea Bezerra de Moraes, proprietária da Norte Serviços – contratada para prestar serviços de lavanderia para o Hospital da Nilton Lins, no entanto a Aleam não conseguiu notificá-la.

A CPI da Saúde investiga a aplicação de recursos públicos no sistema de saúde do Amazonas durante a pandemia do novo coronavírus. A CPI foi instalada dias após o Ministério Público de Contas iniciar investigação e cobrar respostas do governo sobre a aquisição de 28 respiradores pulmonares para a rede pública de saúde no valor de R$ 2,97 milhões. O MPC informou que o custo teve uma média de R$ 106,2 mil por unidade.

Nesta quarta, a Comissão ouviu o depoimento do presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (AADES), Bráulio da Silva Lima. De acordo com a Aleam, foram identificadas contradições que reforçam a participação de Carla Pollake na elaboração e gerenciamento do Anjos da Saúde, projeto orçado em aproximadamente R$ 6 milhões.

“Ela aparece nas reuniões em posição de comando, ao lado, inclusive do próprio presidente da AADES, para discutir questões referentes ao Anjos da Saúde. Aí o senhor Bráulio aparece aqui para afirmar que era para falar sobre o perfil do amazonense? Está claro que muito precisa ser investigado e esclarecido”, afirmou o presidente da CPI, deputado estadual Delegado Péricles.

Ainda durante depoimento de Bráulio, foram feitos ao presidente da AADES questionamentos sobre a real função da agência no projeto, datas de contratação, participação na elaboração e execução, além de contratação de pessoal. “Hoje ficou claro que a agência é contratada para exercer funções que as próprias secretarias poderia executar. Não quero nem me antecipar que é um verdadeiro cabide de empregos”, continuou o parlamentar.

Investigações na CPI

A CPI da Saúde anunciou, no dia 30 de junho, o encerramento da primeira etapa das investigações sobre gastos do Governo do Amazonas durante a pandemia. Membros da CPI informaram que a apuração sobre a compra de respiradores de mais de R$ 2 milhões foi deixada apenas aos cuidados da Polícia Federal (PF), após deflagração da Operação Sangria, que teve como alvo o governador Wilson Lima, e prendeu a secretária de Saúde, Simone Papaiz.

No dia 12 deste mês, a CPI apontou que a Susam recusou a proposta de um empresa com preço de respiradores mais barato. Segundo informações da CPI, a empresa Sonoar, que ofereceu o valor mais acessível à Secretaria, vendeu os respiradores para a empresa FJP e Cia., que firmou o contrato com a Susam, com uma diferença de quase R$ 500 mil do valor que foi vendido para o Estado.

Em depoimento na CPI, no dia 29 de junho, o ex-secretário de Saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, declarou que era contra a compra de 28 respiradores por mais de R$ 2 milhões, mas que foi convencido a autorizar o início do processo. A CPI apontou o envolvimento do empresário Luiz Avelino, marido da ex-secretária de Comunicação do Estado, Daniela Assayag, no esquema investigado para compra de respiradores.

Amazonas

Polícia Civil prende segundo envolvido na morte de capitão da PM

Publicado

em

“Maicon”, foi preso nesta quinta-feira(14) em cumprimento a mandado de prisão temporária

Hitalo Guimarães de Souza, 18, vulgo “Maicon”, foi preso nesta quinta-feira(14) em cumprimento a mandado de prisão temporária. O suspeito é apontado como envolvido no latrocínio do capitão da Polícia Militar, Deivide de Souza Chaves, ocorrido na última terça-feira (12), na zona leste de Manaus.

De acordo com a polícia, Hitalo, quando adolescente, teve passagens por roubo e tráfico de drogas.

Na quarta-feira, o primeiro envolvido no crime foi preso por policiais militares da Força Tática. Ele foi levado para a Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), onde prestou depoimento.

Conforme o delegado Aldeney Góes, titular da Derfd, a partir das informações prestadas pelo homem, os policiais civis, em uma ação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), foram ao conjunto Castanheiras, zona leste, onde prenderam Hitalo.

“José apontou o Hitalo como um dos homens que estava no carro durante o crime que vitimou o capitão. O suspeito é conhecido pela alcunha de Maicon. Nós fizemos uma acareação dos dois suspeitos e foi comprovado o envolvimento do Hitalo, mas ele nega o envolvimento”, explicou o delegado.

O suspeito foi autuado pelo crime de latrocínio, que é o roubo seguido de morte, e vai ser encaminhado para uma unidade prisional.

Ainda segundo o delegado, o autor dos disparos contra a vítima, identificado como Gabriel Coelho do Amaral, conhecido como “Macaco”, está foragido e um mandado de prisão temporária já foi expedido em nome dele.

Leia Mais

Amazonas

Homem é executado por grupo armado na Compensa, zona oeste de Manaus

Publicado

em

A vítima ainda foi socorrida, mas morreu no hospital. O crime será investigado pela polícia

João Vitor Cunha da Silva, foi executado na noite desta quarta-feira (13) quando estava na frente da sua casa, na rua Pacobaiba, bairro Compensa, zona oeste de Manaus.

De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o pai da vítima que registrou o boletim de ocorrência, disse que o crime aconteceu por volta das 20h55.

João estava sentado na calçada em frente a sua casa, quando um veículo de modelo e placa ainda não identificados, chegou e homens desceram do carro. Em seguida, dispararam diversas vezes e fugiram.

A vítima ainda chegou a ser socorrida e levada para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, mas acabou não resistindo aos ferimentos e morreu na unidade de saúde por volta das 21h.

O caso continua sendo investigado pela Delegacia Especializada. O corpo foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML).

 

Leia Mais

Amazonas

Trio é flagrado com 200kg de drogas em embarcação no Amazonas

Publicado

em

Policiais da Base Fluvial Arpão prenderam três homens que transportavam entorpecentes em uma lancha no Rio Solimões

Durante abordagens a embarcações no Rio Solimões, policiais da Base Fluvial Arpão prenderam três homens com idade entre 26 e 51 anos por tráfico de entorpecentes. Os suspeitos foram flagrados na manhã desta quinta-feira (14), próximo à comunidade do Sodré, no município de Coari (a 363 quilômetros de Manaus). Eles foram abordados ao passar em uma lancha de alumínio.

De acordo com a Polícia Militar, os policiais realizavam fiscalização no local quando avistaram a lancha. Ao serem revistados, foram encontradas três sacolas com tabletes de maconha tipo skunk com o trio.

Uma revista minuciosa foi feita na embarcação e encontrada mais substância no interior do compartimento dos bancos. Ao todo, 187 tabletes com peso aproximado de 200 quilos foram encontrados. Os três suspeitos foram encaminhados à delegacia do município de Coari.

Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), a Base Arpão atua de forma integrada com efetivos das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), Polícia Federal, Força Nacional, Secretaria de Operações Integradas (Seopi), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Leia Mais

Mais lidas