" >Escolas particulares de Manaus retomam aulas presenciais com estudantes sem sapatos, escudo facial e rodízio de alunos – Acorda manaus
Connect with us

Manaus

Escolas particulares de Manaus retomam aulas presenciais com estudantes sem sapatos, escudo facial e rodízio de alunos

Published

on

Segundo sindicato, cerca de 60 mil estudantes revezam aulas presenciais e on-line desde o dia 6 de julho. Ainda não há previsão de retorno na rede pública municipal e estadual.

Depois de três meses sem atividades presenciais por causa da pandemia de Covid-19, escolas particulares de Manaus voltaram a abrir as portas para os alunos no início deste mês de julho. O Governo do Amazonas autorizou o retorno das atividades presenciais nessas instituições e divulgou uma cartilha com normas e recomendações oficiais de segurança.

Manaus foi a primeira capital do país a enfrentar colapso nos sistemas de saúde e funerário por causa do coronavírus. Mas os números de casos e mortes vêm caindo nas últimas semanas; veja os gráficos. A capital amazonense concentra mais de 31 mil casos confirmados de Covid-19 até a última atualização desta quarta-feira (15).

Do ensino infantil ao médio, as escolas particulares da capital amazonense vão se adaptando com a adoção de diversas medidas. O Portal G1buscou exemplos em duas instituições privadas e encontrou particularidades em cada uma delas, como aula sem sapatos; recreio a dois; e rodízio de aula presencial e on-line, por exemplo.

Um mapeamento elaborado pela Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) aponta que Manaus é a única cidade com as escolas reabertas no país. Outros oito estados e o Distrito Federal já têm previsão de retorno.

No estado, as aulas particulares só voltaram na capital, como previsto no 4º ciclo do plano de reabertura publicado em decreto do Governo Estadual. Na rede pública — municipal e estadual —, as aulas presenciais seguem suspensas e sem previsão de retorno.

Há uma semana, são cerca de 60 mil alunos, distribuídos em pouco mais de 200 instituições privadas, que voltaram à “rotina” no modelo híbrido, segundo o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas (Sinepe-AM). A partir dessa definição de rodízio, outras medidas e normas precisaram ser adotadas para garantir a segurança dos alunos e profissionais.

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) divulgou uma cartilha com 68 normas e recomendações para o retorno gradual das atividades educacionais. Dentre elas, estão:

  • A lotação das salas de aula ficará limitada a 50% da capacidade, ou a depender do espaço disponível, deve ser garantido o distanciamento mínimo de 1,5m entre as carteiras ocupadas;
  • Deve ser adotado o sistema de rodízio semanal entre alunos, de modo que, enquanto metade da turma está em sala de aula, a outra metade estará em casa realizando atividades de maneira remota. Na semana seguinte os grupos são invertidos;
  • Deve ser adotado o sistema de rodízio semanal entre alunos, de modo que, enquanto metade da turma está em sala de aula, a outra metade estará em casa realizando atividades de maneira remota. Na semana seguinte os grupos são invertidos;
  • As instituições de ensino deverão desenvolver um plano de trabalho domiciliar ou remoto estudantes do grupo de risco ou àqueles (ou suas famílias) que não se sintam confortáveis e seguros para frequentarem o ambiente educacional de maneira presencial;
  • O plano pedagógico deverá priorizar atividades que evitem aglomerações, e que possam ser desenvolvidas em ambientes abertos e arejados;
  • Durante as aulas de Educação Física, assim como demais práticas esportivas ofertadas pelo estabelecimento de ensino, não poderá haver contato físico entre os participantes;
  • Quando possível os horários de entrada e intervalo/recreio deverão ser redefinidos, de maneira que seja evitada a aglomeração de pessoas e a circulação simultânea de grande número de alunos nas áreas comuns do estabelecimento;
  • Bibliotecas devem funcionar preferencialmente para empréstimo de exemplares, sem consulta ou leitura no local.
  • Brinquedotecas devem permanecer fechadas. Para as crianças menores recomenda-se que estas não tragam seus próprios brinquedos para escola.
  • Auditórios, salas de reuniões, e salas multimídia não devem funcionar até ulterior liberação da FVS;
  • Na sala de aula as carteiras deverão estar dispostas de modo a respeitar o distanciamento mínimo de 1,5m entre si;
  • Para a educação infantil deverá ser adotado o distanciamento de pelo menos 2m, uma vez que para esta faixa etária a utilização de máscaras é de difícil adaptação;
  • Todos os espaços físicos do estabelecimento educacional devem disponibilizar com fácil acesso solução de álcool gel a 70%;
  • É obrigatório a todos os frequentadores do estabelecimento de ensino, o uso adequado e a todo tempo de máscaras cirúrgicas ou de tecido com no mínimo duas camadas.

Particularidades entre as medidas adotadas nos colégios foram encontradas porque as instituições passaram a elaborar seus planos de retomada dentro da realidade de cada um. De testagem em massa no quadro de funcionários, a pequenos ajustes como brincadeiras à distância, uma cartilha elaborada pelo sindicato também serviu de “guia básico” para que as portas se abrissem no dia 6 de julho.

 

Foi somente no dia 3 de julho – três dias antes do retorno das aulas – que a Fundação de Vigilância em Saúde publicou um manual com normas e recomendações específicas para o retorno gradual das atividades escolares. O texto incluía medidas específicas a serem adotadas em ambiente escolar. O material foi formulado por órgãos públicos em parceria com o Sindicato e instituições privadas.

Questionado sobre a eficácia das diretrizes para retorno das aulas, o infectologista Marcus Lacerda informou que ainda não há um estudo que comprove isso, mas que experiências de outros países com controle da doença são tomadas como referência para a adoção das mesmas recomendações.

“Tem experiências de outros países da Europa e até mesmo a própria China, onde iniciou o surto de Covid-19, que já voltaram gradualmente com as mesmas medidas indicadas aqui em Manaus. Até o momento, não há informação de que esse retorno foi responsável por aumento de casos ou uma segunda onda da doença, ou que coloque a vida dos jovens e funcionários em risco”, disse.

Manaus

Chuva alaga estacionamentos e carros ficam submersos no Centro de Manaus

Published

on

Bombeiros fazem escoamento da água para retirada dos veículos.

Um estacionamento na avenida Joaquim Sarmento, no Centro de Manaus, ficou alagado e 12 carros ficaram submersos depois da forte chuva que atingiu Manaus na tarde desta segunda (30). Outros cinco estabelecimentos também ficaram parcialmente alagados na área central da cidade.

Três viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas. A corporação informou que utiliza um equipamento para fazer o escoamento da água. Assim que o nível de água for reduzido o suficiente, um guincho irá tirar os veículos do local.

Segundo o proprietário do estacionamento, Leandro Simões, que trabalha há mais de 7 anos no ramo, uma situação como essa nunca aconteceu.

Outros cinco estabelecimentos também ficaram parcialmente alagados na área central da cidade.  — Foto: Rebeca Beatriz/G1 AM

“Assim que eu vi, acionei os bombeiros e a Defesa Civil. Comuniquei os donos dos veículos e agora estamos acompanhando o trabalho”, disse.

O lojista Marcelo Freitas deixou dois carros estacionados no local, antes da chuva. Os dois veículos ficaram presos na alagação. Ele contou ao G1 que jamais imaginou uma situação dessas.

“Vim trabalhar e deixei meu carro aqui. Pouco depois me ligaram informando da situação. Já estou aqui há duas horas, pelo menos. Nunca imaginei passar por uma duração assim”, comentou.

Além do Corpo de Bombeiros, o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (Immu) também foi acionado. O transitou ficou mais lento na avenida e veículos têm dificuldade para trafegar.

A Defesa Civil de Manaus informou que está em monitoramento às possíveis ocorrências ocasionadas pela chuva.

Na Rua Joaquim Sarmento, Centro, um estacionamento ficou alagamento e carros estacionados ficaram submersos. — Foto: Rebeca Beatriz/G1 AM

Continue Reading

Manaus

Linhas de ônibus voltaram a circular pela ponte do bairro Educandos em Manaus

Published

on

Circulação das linhas foi desviada para outras ruas dos bairros Educandos e Morro da Liberdade durante obra.

Cinco linhas que atendem bairros da zona Sul de Manaus voltaram a trafegar, a partir desta segunda-feira (30), na ponte Antônio Plácido de Souza – a ponte do Educandos – reinaugurada após obras. A circulação das linhas foi desviada para outras ruas dos bairros Educandos e Morro da Liberdade durante a obra.

As linhas 704 (Betânia / Centro; 705 – Mauazinho / T2 / Centro), 706 (Mauazinho / Panair / Centro; 711 – Mauazinho / T2 / Centro) e 004 (Circular / T2 / Educandos / Centro) irão retomar seus antigos itinerários e, assim, encurtar o percurso em direção ao Centro. A linha 625 (Nova República / Educandos / Centro) irá manter o atual itinerário para atender os usuários que, atualmente, fazem embarque e desembarque na avenida Lourenço Braga.

De acordo com a prefeitura, a linha 707 (Educandos / avenida Lourenço Braga / Centro) será substituída pelas linhas que retornam ao antigo itinerário. Além disso, a linha 625, que estava no itinerário provisório, passará a ser permanente.

Itinerários

A linha 704, no sentido bairro/Centro, tem o seguinte itinerário: rua Branco e Silva, avenida Presidente Kennedy, avenida Rio Negro, rua Inocêncio de Araújo, rua Delcídio do Amaral, Ponte do Educandos e rua Quintino Bocaiuva de onde seguem o itinerário normal.

A linha 705, no sentido bairro/Centro, fará o itinerário normal até a rua Presidente Kennedy, segue pelas avenidas Leopoldo Péres, Rio Negro, rua Inocêncio de Araújo, ponte Educandos, rua Delcidio do Amaral, Quintino Bocaiúva e segue itinerário normal.

Em relação à linha 706, no sentido bairro/Centro, a linha segue o itinerário até a rua Presidente Kennedy, a partir de onde segue pela avenida Leopoldo Péres, avenida Rio Negro, prossegue pela rua Inocêncio de Araújo, ponte do Educandos, rua Delcidio do Amaral, Quintino Bocaiúva. No sentido Centro/bairro, a linha 706 terá o itinerário normal até a rua Miranda Leão, avenida Joaquim Nabuco, rua dos Andradas, rua Isabel, rua Quintino Bocaiúva, rua Delcidio do Amaral e itinerário normal.

A linha 711, no sentido Centro/bairro, atenderá a rua dos Andradas, rua Isabel, rua Quintino Bocaiúva, rua Delcidio do Amaral e segue o itinerário normal.

Em relação à linha 004, no sentido bairro/Centro, esta seguirá pelo itinerário normal até a avenida Floriano Peixoto, de onde seguirá pela rua dos Andradas, rua Isabel, rua Quintino Bocaiúva, rua Delcidio do Amaral e itinerário normal.

Continue Reading

Manaus

Motorista de aplicativo se joga de carro e foge de assaltantes após sequestro relâmpago; três são presos em Manaus

Published

on

Caso aconteceu no início da madrugada desta terça-feira (1°).

Um motorista de aplicativo, de 29 anos, foi vítima de roubo e sequestro relâmpago no início da madrugada desta terça-feira (1°), em Manaus. De acordo com a polícia, três homens foram presos suspeitos de participação no crime.

De acordo com a Polícia Militar, o caso teve início por volta de 0h30 na Avenida Tenente Roxana Bonates, conhecida como avenida Igarapé do Passarinho, no bairro Novo Israel, após o motorista iniciar uma corrida.

Durante a corrida, os suspeitos anunciaram o assalto utilizando uma escopeta calibre 12, de fabricação caseira.

Ainda de acordo com a polícia, os assaltantes tentaram colocar o motorista dentro do porta-malas, mas nesse momento, o homem se jogou e conseguiu fugir.

Motorista de aplicativo se joga de carro e foge de assaltantes após sequestro relâmpago; três são presos em Manaus — Foto: Polícia Militar/Divulgação

O motorista de aplicativo pediu socorro de policiais militares, e os suspeitos fugiram em direção ao bairro Santa Etelvina.

A Polícia Militar informou que rastreou o veículo da vítima por meio do celular do motorista que ficou dentro do carro.

A localização foi identificada na Rua das Laranjeiras, no bairro Monte das Oliveiras, próximo a um shopping. Dois homens de 30 e 18 anos foram detidos dentro do veículo.

Segundo a polícia, os homens jogaram a chave e o celular da vítima em uma área de mato. Os objetos foram encontrados horas depois.

Depois de ser preso, um dos suspeitos informou que um terceiro envolvido, de 20 anos, estava com a arma usada no crime. Ele foi deixado na Rua Achuarana, no Monte das Oliveiras. A polícia foi até o local e avistou o homem, que tentou correr ao perceber a chegada dos policiais. Ele jogou a arma utilizada no crime.

O trio foi preso em flagrante. Alguns motoristas de aplicativo tentaram agredir os suspeitos no momento da prisão.

Continue Reading

Mais lidas