Connect with us

Manaus

Especialistas de segurança pública do Brasil, EUA, Europa e América do Sul participam de encontro de Inteligência em Manaus

Publicado

em

Operação da SSP-AM iniciou na madrugada desta terça-feira — Foto: Eliana Nascimento/G1 Amazonas

Proposta é incentivar cooperações internacionais para o combate aos crimes transnacionais.

Autoridades e especialistas de Segurança Pública do Brasil, Estados Unidos, Europa e de países da América do Sul vão se reunir em Manaus, entre os dias 7 e 9 de abril, para discutir as experiências e as estratégias de combate ao crime nas regiões de fronteira. A proposta é incentivar cooperações internacionais para o combate aos crimes transnacionais.

Evasão de divisas, lavagem de dinheiro, tráfico de armas e drogas, tráfico de órgãos e de pessoas, e os desafios do combate ao crime ambiental, incluindo a biopirataria, serão temas do debate, promovido pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

De acordo com o secretário de Segurança Pública do Amazonas, coronel Louismar Bonates, a meta é desenvolver uma Rede de Inteligência, com banco de dados integrado, visando a produção de informações para combater diversos crimes.

“As organizações criminosas atuam sem fronteiras, com conexões no mundo inteiro. Por isso, é urgente que as polícias também desenvolvam protocolos para acessar e fornecer informações de forma célere, que ajudem na localização de criminosos, no combate às organizações e na prevenção dos crimes que muitas vezes cruzam nossas fronteiras com direção a outros países, mas deixam um rastro de problemas que afeta toda a sociedade, como é o caso das drogas”, salientou.

O Amazonas tem firmado cooperações técnicas com outros estados para trabalhar operações policiais em conjunto. Já há protocolos assinados com Rondônia, Roraima e Acre que permitem tanto a troca de informações de inteligência quanto o desenvolvimento de operações policiais.

Amazonas

Homem que estuprou e matou menina é torturado e tem pênis cortado na cadeia

Publicado

em

O indígena de 20 anos, que havia sido preso na tarde desta terça-feira (15) após estuprar e matar uma criança de apenas cinco anos, foi encontrado morto na manhã desta sexta-feira (18) no presídio de Parintins, interior do Amazonas. Ele teria sido torturado por outros presidiários e teve o pênis arrancado como punição pelo crime que cometeu.

Segundo informações da Polícia Militar (PM/AM), o índio contou detalhadamente o crime com bastante frieza. Na confissão, ele disse que teria bebido bastante e avistado a criança. Ele a chamou para olhar o celular dele, e quando ela se aproximou, a agarrou. Em seguida, arrastou a menina para o rio e a matou afogada.

Depois de morta ele amarrou os braços e as pernas com as próprias roupas dela para dificultar o encontro do cadáver.

O crime só foi descoberto por causa de uma outra criança que teria visto o índio com a garotinha às margens do rio. O corpo da criança foi encontrado na tarde de ontem.  O momento foi de muita dor e desespero depois que a mãe recebeu o corpo da filha morta.

A situação gerou revolta em todo o estado e em todas as cadeias do Amazonas. Ele então foi torturado e morto por outros criminosos.

Leia Mais

Amazonas

Registrados mais 620 casos novos de Covid-19 e 15 mortes confirmadas no Amazonas

Publicado

em

Amazonas – O estado registrou o diagnóstico de 620 novos casos de Covid-19, totalizando 395.724 casos da doença no estado até esta quinta-feira (17), segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM).

Foram confirmados 15 óbitos por Covid-19, sendo seis ocorridos no dia 16 e nove óbitos após investigação, elevando para 13.197 o total de mortes pela doença.

Na capital, de acordo com dados da Prefeitura de Manaus, nesta quarta-feira (16), foram registrados cinco sepultamentos por Covid-19.

O boletim acrescenta, ainda, que 43.053 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão sendo acompanhadas pelas secretarias municipais de saúde.

Leia Mais

Amazonas

Aos 70 anos, morre dono de restaurante em Manaus

Publicado

em

Manaus – Na madrugada desta terça-feira (15), morreu o empresário Joaquim Loureiro, mais conhecido como ‘Jokka’, dono da tradicional Peixaria do Jokka, localizada no bairro São Raimundo, zona Oeste da capital amazonense.

Muito conhecido pela personalidade irreverente, de ser “ignorante” com os clientes, Jokka era bastante querido por suas frases icônicas como “seja educado: come, pague e vá embora”. O local sempre foi muito frequentado por políticos e personalidades manauaras, pois além da culinária e do próprio Jokka, ainda possui o atrativo de uma vista privilegiada do Rio Negro.

Jokka foi casado por quase 50 anos com Maria do Carmo, que faleceu em janeiro deste ano. Natural de Acajatuba, no Iranduba, ele deixou três filhos.

David Almeida e Marcos Rotta lamentam o falecimento de Jokka

O prefeito de Manaus, David Almeida, e o vice-prefeito Marcos Rotta lamentam profundamente a morte, na madrugada desta terça-feira, 15/6, do empresário amazonense Joaquim Loureiro, conhecido como “Jokka”, aos 70 anos. Ele era famoso em Manaus por sua peixaria, localizada no bairro São Raimundo.

“Com pesar, recebi a notícia da morte do nosso querido Jokka, que, com sua humildade, fez o seu restaurante, com uma bela vista para o rio Negro, ser um dos mais conhecidos e frequentados na cidade. Que Deus conforte o coração de seus familiares e amigos neste momento de dor”, disse o prefeito.

“Lamento profundamente a morte de Jokka, que era um dos donos de restaurantes mais tradicionais da cidade. Meu sentimento de pesar e que Deus console a todos neste difícil momento de perda para todos nós”, afirmou o vice-prefeito.

Leia Mais

Mais lidas