Connect with us

Amazonas

Governador do AM nega envolvimento em práticas ilegais durante pandemia: ‘Minha determinação era pra que se salvassem vidas’

Publicado

em

Lima foi alvo de buscas e bloqueio de bens na Operação Sangria, deflagrada pela PF e MPF, nesta terça (30). Secretária de Saúde, Simone Papaiz, foi presa.

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), alvo de operação da Polícia Federal, negou o envolvimento em práticas ilegais nos gastos do governo durante a pandemia de Covid-19. Lima foi alvo de buscas e bloqueio de bens na Operação Sangria, deflagrada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal (MPF), nesta terça-feira (30).

A força-tarefa prendeu a secretária de saúde do estado, Simone Papaiz, e outras sete pessoas, que já deram entrada no sistema prisional do Estado. A investigação aponta supostas fraudes e desvios na compra de respiradores para atender casos de Covid-19 no estado, que já registra mais de 2,8 mil mortes pela doença, até esta terça.

Em vídeo publicado nas suas redes sociais, Wilson Lima diz que estava cumprindo agenda oficial em Brasília, nesta terça, quando foi surpreendida com a operação da PF. Ele disse que ficou surpreso com a ação e que é o principal interessado na apuração dos fatos.

“Durante o pico da pandemia, a minha determinação era pra que se salvassem vidas, e aí havia necessidade de celeridade nos processos para aquisição de materiais para o combate ao coronavírus”, disse.

A PF chegou a pedir a prisão de Lima, mas o ministro Francisco Falcão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), disse que, “ao menos neste momento”, isso não se justifica.

O governador do Amazonas encerrou o vídeo, de 46 segundos, negando envolvimento nos crimes. “Em nenhum momento houve qualquer determinação para prática ilegal, pra corrupção, ou qualquer coisa nesse sentido. Portanto, eu estou absolutamente tranquilo e na certeza de que esses fatos serão logo esclarecidos”, finalizou.

Investigadores informaram à TV Globo que o governador não quis fornecer a senha de dois celulares apreendidos nesta terça-feira (30) na Operação Sangria. Esta é a terceira operação da PF sobre coronavírus que tem como alvo um governador de estado. Antes de Lima, Helder Barbalho (MDB), do Pará; e Wilson Witzel (PSC), do Rio de Janeiro, foram alvos.

Compra de respiradores

A investigação da Polícia Federal (PF) aponta supostas fraudes e desvios na compra de respiradores, com dispensa de licitação, de uma importadora de vinhos — os equipamentos deveriam ser destinados ao combate ao novo coronavírus, que causa a doença Covid-19. A PF cumpriu os mandados na sede do governo do estado, na casa de Lima e na secretaria de saúde, em Manaus.

Segundo a investigação, foram identificadas compras superfaturadas de respiradores; direcionamento na contratação de empresa; lavagem de dinheiro; e montagem de processos para encobrir os crimes praticados com a participação direta do governador.

No requerimento, a subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo sustenta que as investigações permitiram, até o momento, “evidenciar que se está diante da atuação de uma verdadeira organização criminosa que, instalada nas estruturas estatais do governo do estado do Amazonas, serve-se da situação de calamidade provocada pela pandemia de Covid-19 para obter ganhos financeiros ilícitos, em prejuízo do erário e do atendimento adequado à saúde da população”.

Em um dos contratos investigados foi encontrada suspeita de superfaturamento de, pelo menos, R$ 496 mil, segundo a investigação. A força-tarefa também apurou que os respiradores foram adquiridos por valor superior ao maior preço praticado no país durante a pandemia, com diferença de 133%.

A operação cumpriu mandados de prisão temporária contra oito pessoas, além de buscas e apreensões em 14 endereços de pessoas ligadas a Lima.

Além da secretária de Saúde, outras sete pessoas foram presas, seguindo determinação de Falcão, do Superior Tribunal de Justiça (STJ): João Paulo Marques dos Santos, ex-secretário de saúde; Perseverando da Trindade Garcia Filho, ex-secretário executivo adjunto de saúde; Alcineide Figueiredo Pinheiro, ex-gerente de compras da secretaria de saúde; Fábio José Antunes Passos; Cristiano da Silva Cordeiro; Luciane Zuffo Vargas de Andrade; Renata de Cássia Dias Mansur Silva. O G1 tenta contato com as respectivas defesas.

Amazonas

Comerciantes que não devolviam cartões auxílio para clientes são investigados no interior do AM

Publicado

em

Comerciantes que não devolviam cartões de programas sociais em estabelecimentos de Nova Olinda do Norte (AM), distante 135 quilômetros de Manaus, são alvo de uma operação da Polícia Civil e a Polícia Militar do Amazonas nesta sexta-feira (26). Segundo os agentes, os suspeitos retinham cartões de auxílio do governo e também do Bolsa Família.

No total, serão cumpridos nove mandados de busca e apreensão na operação, chamada “Livre Arbítrio”.

Com coordenação da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP), a operação é comandada pelo Departamento de Polícia Civil do Interior, com participação da Polícia Militar, através do Batalhão de Choque e da Companhia de Operações Especiais (COE). Segundo as investigações, comerciantes da cidade seguram os cartões benefícios de consumidores como forma de assegurar o pagamento por compras realizadas ao longo do mês.

“O objetivo é dar enfrentamento a essa prática ilegal de retenção de cartões magnéticos, de auxílio emergencial, cartão bancário, de pessoas idosas e com deficiência, além da apropriação indébita. Tem dois crimes que vem sendo praticados de forma corriqueira e, estamos juntos, Polícia Civil, Polícia Militar e Ministério Público agindo para coibir essa prática ilegal”, afirmou o delegado Bruno Fraga, diretor do Departamento de Polícia do Interior.

Leia Mais

Amazonas

Micro-ônibus colide com ônibus e motorista fica preso nas ferragens em acidente em Manaus

Publicado

em

Um micro-ônibus que levava funcionários de uma empresa do Polo Industrial de Manaus, colidiu com um ônibus da linha 621, na Avenida Buriti, no Distrito, na Zona Sul da capital. O acidente aconteceu por volta de 6h da manhã.

Segundo informações do Capitão Márcio Lima, do Corpo de Bombeiros, o condutor do micro-ônibus e um passageiro ficaram presos nas ferragens e precisaram ser resgatados pelos agentes.

Outras pessoas que também estavam no veículo ficaram feridas e foram encaminhadas para um hospital, por uma equipe da Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Ainda não se sabe o estado de saúde delas.

Com o acidente, o trânsito ficou lento na região e agentes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU) foram acionados para fazer a sinalização da área. Não há informações sobre as causas do acidente, que serão investigadas.

Leia Mais

Amazonas

Morre homem que teve 80% do corpo queimado em explosão de prédio em Manaus

Publicado

em

Um homem de 42 anos, vítima da explosão de um prédio em um condomínio localizado Zona Norte de Manaus, morreu nesta sexta-feira (26). Ele estava internado no Hospital 28 de Agosto desde a quarta-feira (24), quando aconteceu o acidente, e tinha 80% do corpo queimado (veja o vídeo da explosão acima).

A morte foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-AM). Em nota, foi informado que o homem veio a óbito após sofrer três paradas cardiorrespiratórias.

Além do homem, outras cinco pessoas também ficaram feridas na explosão. A suspeita é que o acidente tenha sido ocasionado por gás de cozinha. Quatro vítimas, todas crianças, receberam os primeiros atendimentos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales e foram encaminhadas em seguida para os Pronto-Socorros da Criança da Zona Oeste e Zona Sul.

Outra vítima teve ferimentos leves e não precisou de hospitalização. Trata-se de Jéssica Carvalho, de 26 anos. Ela vivia no apartamento de cima da unidade em que ocorreu a explosão e sofreu várias queimaduras.

O bloco de oito apartamentos que ficou parcialmente destruído após a explosão, foi condenado pela Defesa Civil por apresentar risco de desabamento. De acordo com o diretor de Operações da Defesa Civil, major Robson Falcão, a explosão destruiu quatro apartamentos e comprometeu outros quatro.

Vários órgãos foram acionados para inspecionar o local e, inclusive, começar o trabalho de demolição de algumas áreas, que apresentam riscos.

Leia Mais

Mais lidas