Connect with us

Polícia

Homem desejou a sua ex companheira “muitos anos de vida” no aniversário dela e a matou dias depois

Publicado

em

A sapateira Guislene Avelar, 39, morou com o namorado por 13 anos, em Franca (SP). Nunca sofreu violência doméstica ou percebeu qualquer sinal de que Fabrício Fabiano Mathias, 38, pudesse machucá-la. Mas, três meses após sair de casa, no dia 21 de outubro, ela foi esfaqueada no pescoço e morta pelo ex, que não aceitou a separação. Fabrício foi encontrado morto no dia seguinte. Na conversa com a reportagem de Universa, o irmão da vítima, o pedreiro Gilberto Ferreira, 37, chega a elogiar o ex-cunhado, com quem trabalhou por três anos. Diz, por exemplo, que Fabrício era um homem bom, tranquilo e trabalhador —ele estava atuando como pintor numa escola. Até que lembra detalhes do crime

“Nunca pensamos que ele pudesse fazer isso. Não havia indícios. Não vem escrito na testa quem vai cometer algo assim”, ele afirma. Guislene estava hospedada na casa do irmão e nada falou sobre ter sofrido qualquer tipo de agressão. Pelo contrário. Ela até pensou em reatar o relacionamento, não fosse a ameaça que sofrera do ex, conforme conta Gilberto: Um mês antes de tudo acontecer, o Fabrício veio aqui na porta tentar reatar o casamento e ela disse que não queria nada mais. Os dois discutiram e ele disse que mataria ela e quem estivesse com ela. Eu vi tudo. Neste dia, minha irmã correu atrás de uma medida protetiva e conseguiu em menos de uma semana. Ele tinha que manter uma distâncoa de 100 metros dela.

Após conseguir a medida protetiva, Guislene seguiu sua vida normalmente. Dois dias antes de morrer, comemorou o aniversário. Ela passou o dia 19 de outubro com a mãe, os três irmãos, a sobrinha de seis anos e seu filho, de 21. No dia anterior, recebeu no trabalho uma cesta de café da manhã enviada pelo ex. Nela, um bilhete em que desejava “muitos anos de vida” e que ela fosse “livrada de todo mal lançado contra ela”. Como era a primeira vez em 13 anos que passava o aniversário solteira, comentou que, apesar de tudo, estava sentindo falta de Fabrício.

“Ela falou que se não fosse a ameaça, teria reatado, mas ficou com medo”, lembra Gilberto.

O dia do crime

Na manhã de 21 de outubro, por volta das 6h, Guislene saía com o carro do irmão para o trabalho quando foi abordada pelo ex, que estava de moto. Fabrício a teria rendido com uma faca, entrado no carro e ferido a ex no pescoço. Guislene chegou a sair do carro para pedir ajuda, enquanto ele fugia. Uma mulher que passava pelo local tentou socorrê-la, mas ela não resistiu. No dia seguinte, Fabrício foi encontrado na casa onde os dois viveram. “Ele se matou”, confirma Gilberto. O filho de Guislene agora mora com o tio. Gilberto tem ainda uma filha de quatro anos. “Parece que virou moda matar mulher. Todo pai deveria ensinar ao filho, desde cedo, a saber perder, porque quem faz isso não sabe ouvir ‘não’ diz.

Leia Mais
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 5 =

Amazonas

Operação apreende quase duas toneladas de drogas e 1,3 quilo de ouro no interior do AM

Publicado

em

A Operação Ágata Amazônia resultou na apreensão de 1,8 tonelada de drogas e 1,3 quilo de ouro no município de Japurá, no interior do Amazonas. As ações foram realizadas entre sábado e segunda-feira (8 e 10).

Também foram apreendidos quatro fuzis, 10 carregadores, 266 munições calibre 5,56 milímetros, um telefone satelital e três embarcações de pequeno porte com motor de popa, utilizadas no transporte do material ilícito.

A operação está em andamento na região desde o dia 3 de maio. As atividades foram conduzidas por militares embarcados no Navio Patrulha Fluvial Amapá. A primeira ação, ocorrida no dia 8, resultou na apreensão de 1,3 quilo de ouro, uma balança de precisão, duas armas, munições calibre 28 milímetros, 15 cilindros de oxiacetileno e animais silvestres.

Já no dia 9, nas proximidades do Lago do Tabaco, em Japurá, foram apreendidos 155 quilos de cocaína, 705 quilos de maconha do tipo Skunk oriundos da Colômbia, duas embarcações e cerca de 17 mil reais em espécie.

Duas pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas em um local onde funcionava a base para escoamento dos entorpecentes.

No dia 10, foram apreendidos 985 quilos tipo Skunk, armamentos, munições e uma embarcação utilizada no transporte do material ilícito.

A Ágata é Operação Conjunta do Ministério da Defesa conduzida pela Marinha, Exército e Força Aérea Brasileira, com a participação de agentes da Polícia Federal e das Polícias Militar, Civil e Ambiental do Estado do Amazonas, e tem o propósito de reprimir e prevenir crimes transfronteiriços. As ações ocorrem na região da Tríplice Fronteira, nos rios Solimões, Içá e Japurá.

Leia Mais

Amazonas

Corpo de adolescente de 14 anos é encontrado às margens do Rio Negro, em Manaus

Publicado

em

O corpo de um adolescente de 14 anos foi encontrado às margens do Rio Negro, na orla do bairro Educandos, em Manaus. na tarde desta terça-feira (11). Ele foi levado para a base do Pelotão Fluvial, no Centro.

O jovem havia desaparecido poucas horas antes, quando nadava no rio com outros dois colegas.

De acordo com informações da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o adolescente estava brincando no rio com os colegas. Eles apostaram para ver quem chegaria mais rápido em outra parte do rio.

Os bombeiros foram informados pelos colegas do jovem que talvez ele tenha sentido cãibra em um dos mergulhos, e por isso não retornou.

O tenente do Corpo de Bombeiros, Barbosa Amorim, foi um dos que participaram do resgate. A equipe, segundo ele, foi acionada por volta das 15h30, e o resgate foi feito às 17h20.

Ainda segundo a corporação, o adolescente sabia nadar um pouco, mas nesses casos, a correnteza costuma ser muito forte. O corpo do adolescente foi reconhecido por familiares e removido pelo Instituto Médico Legal (IML).

Leia Mais

Amazonas

Adolescente de 15 anos e três homens são mortos após ataque em Manaus

Publicado

em

Um adolescente de 15 anos e outros três homens, ainda não identificados, foram assassinados na madrugada deste domingo (9), no bairro Mauazinho, em Manaus. Uma quinta pessoa ficou ferida. A Polícia Civil investiga uma disputa entre facções criminosas rivais.

De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), por volta de meia-noite, um grupo de uma facção criminosa rival do bairro Mauazinho foi até uma invasão nas proximidades, conhecida como “Vila Nova”.

A polícia disse que o grupo invadiu um ponto de vendas de entorpecentes e os criminosos atiraram contra as pessoas que estavam no local.

Na ocasião, um adolescente de 15 anos foi baleado e socorrido para o Hospital João Lúcio, mas não resistiu aos ferimentos. O irmão dele, não identificado, também ficou ferido e está hospitalizado.

Durante a ação criminosa, três homens foram sequestrados desse local. Conforme a polícia, eles foram levados pelos criminosos para o campo do “Maracambira”, onde foram encontrados mortos por volta das 3h, com vários disparos de arma de fogo.

Um dos homens mortos, segundo a polícia, liderava o tráfico de drogas na invasão Vila Nova, e a suspeita é que a motivação do crime trata-se de uma disputa entre facções duas criminosas. A PC informou que já houveram outros ataques entre os dois grupos.

Durante a madrugada, no campo em que foram encontrados os três homens mortos, o policiamento teve que ser reforçado no local. O caso é investigado pela DEHS.

Leia Mais

Mais lidas