Connect with us

Brasil

Lamborghini Huracán de R$ 1,6 milhão atingida por enchente em SP não tinha seguro

Publicado

em

Carro fazia parte de um projeto de preparação para chegar a 1.600 cavalos. Antes dos estragos causados pela chuva, donos planejavam leilão beneficente no final da transformação.

As fortes chuvas que causaram alagamentos em São Paulo no início da semana provocaram destruição pela cidade. Estacionamentos foram invadidos pela água e vários carros, até mesmo uma Lamborghini Huracán avaliada em R$ 1,6 milhão, foram atingidos.

O projetista Fernando Santos, que estava com o carro de luxo em sua residência no dia do incidente, disse que o veículo não era segurado.

“Não sei o tamanho do prejuízo, e se o carro tem recuperação. O carro não tem seguro, porque ele ia entrar em preparação”, afirmou Santos, que tem o nome profissional de Fernando Mutant.

O veículo estava em um condomínio na Vila Leopoldina, em São Paulo, quando as enchentes da última segunda-feira (10) começaram. “O que era um sonho acabou virando um pesadelo”, disse o projetista, que ainda não conseguiu dormir desde que a garagem do edifício foi tomada pelas águas.

O modelo pertence uma produtora de conteúdo e está envolvido em um projeto chamado de “Mutant Supercars”, que iria produzir uma série de vídeos mostrando a preparação do carro, que seria feito no Brasil.

No processo, o superesportivo passaria por mudanças no motor, conjunto mecânico e até mesmo na aerodinâmica.

De acordo com Fernando Santos, o carro foi recebido por uma doação, e o dinheiro levantado em um futuro leilão, ao final do projeto, seria destinado a alguma entidade assistencial.

“Como era um carro que não seria utilizado no dia-dia, ele não tinha mais seguro. Então isso deixou a gente um pouco sem rumo, mas estamos confiantes que possamos reverter”, afirmou Vinícius Vilela, CEO da Trend Innov Action, a produtora responsável pelo projeto.

Lamborghini Huracán antes de ser atingida por enchente em São Paulo — Foto: Reprodução/Mutant Supercars

‘O carro não é de milionário’

Sobre a grande repercussão que o caso teve, ele afirma que tem acompanhado o que as pessoas estão falando nas redes sociais.

“Tem muito comentário negativo, mas ninguém imagina o que tem por trás dessa história”, explicou o preparador.

Ele afirma que o carro faz parte de um projeto que pretende levar a Lamborghini passar de 610 cavalos para 1.500 cavalos.

O cupê sai de fábrica com motor V10 5.2 com 57,1 kgfm de torque com injeção direta e indireta, câmbio automatizado de dupla embreagem de sete marchas e tração nas quatro rodas.

De acordo com dados da montadora, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em apenas 3,2 segundos, e de 0 a 200 km/h em 9,9 segundos. A velocidade máxima é de 325 km/h.

“É uma história que tem o outro lado da moeda. Tem um lado solidário. Não é um milionário igual todo mundo está comentando, que teve um prejuízo, e amanhã vai comprar um outro carro zero de novo. É uma ação social que foi prejudicada”, completou.

Fernando ‘Mutant’ Santos é o projetista que estava com a Lamborghini atingida pelas águas — Foto: Reprodução/Mutant Supercars

Brasil

Quase 100 mil aparelhos de TV box piratas são destruídos no Rio

Publicado

em

Quase 100 mil aparelhos de TV box piratas foram destruídos no Rio em uma ação da Receita Federal e da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA). Os aparelhos são usados para piratear sinais de TV fechada.

A carga com 97 mil equipamentos é avaliada em R$ 13,6 milhões e foi recolhida no porto do Rio de Janeiro e no Porto de Itaguaí em 2019 e 2020.

Aparelhos ilegais como esses, segundo estimativas da ABTA, estão presentes em R$ 4,5 milhões de lares e causam um prejuízo de R$ 9,5 bilhões para a indústria audiovisual brasileira por um ano.

“O comércio ilegal de mercadorias traz prejuízos para todos, eliminando empregos e investimentos no Brasil e, além disso, acarreta o cometimento de outros delitos graves por parte das organizações criminosas que promovem essa prática”, afirma o superintendente da Receita Federal na 7ª Região Fiscal, auditor-fiscal Flávio José Passos Coelho.

O prejuízo aos cofres públicos, com o imposto que deixa de ser recolhido, chega a R$ 1 bilhão.

Leia Mais

Amazonas

Grupo de empoderamento ajuda mulheres em todo o Brasil

Publicado

em

Mais de 4 mil integrantes do grupo “Virada Feminina” atuam ativamente contra exploração sexual, violência doméstica, fomentando o empreendedorismo e o fortalecimento feminino

Criado há quatro anos pela gaúcha Marta Livia Suplicy, o grupo de mulheres “Virada Feminina”, já tem mais de 4 mil integrantes e oferece uma rede de apoio a mulheres em todo o Brasil. O objetivo é ajudar e atuar ativamente em qualquer lugar onde uma ou mais mulheres precisem de ajuda. No mês onde a Lei Maria da Penha comemora 14 anos, ações como essa nos ajudam a conquistar cada vez mais espaço na sociedade e a virar o jogo em temas como o combate à violência contra a mulher, empregabilidade, empreendedorismo e empoderamento feminino.

– Nós não somos um grupo de discussão, somos um grupo de ação. Todas são voluntárias e trabalham umas pelas outras. Todo dia recebemos um número enorme de denúncias de violência, abuso sexual. O que fazemos é tentar agir onde as mulheres precisam de apoio. Me perguntam sempre o que você ganha com isso? Evolução feminina e uma classe fortalecida! – explica a representante empossada pela presidente nacional do Virada Feminina, Marta Livia Suplicy.

A rede de apoio conta com mulheres de várias áreas, são delegadas, psicólogas, jornalistas, médicas, dentistas, escritoras, empresárias, artistas, entre outras. Elas possuem grupos de trabalho em estados como Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília, Espírito Santo, Amapá, Ceará.

– Precisamos dar visibilidade a mulheres invisíveis. Imagina uma mulher que faz uma denúncia de violência, mas a delegada leva quatro horas de barco para chegar até lá. Isso acontece por esse Brasil. Temos lideranças até na Ilha do Marajó, porque a ajuda precisa chegar até lá! Queremos combater essa cultura machista e criar mais políticas públicas, ter mulheres em cargos mais altos. Sororidade não é moda, precisamos nos colocar no lugar do outro – explica Marta.

Para as mulheres que queiram ajudar ou que também precisem de ajuda, a página do grupo no Instagram é @viradafeminina_oficial. O grupo também promove debates nas redes sociais, como o que vai acontecer nesta quarta-feira (12/08), às 20h, para falar de histórias de superação feminina, com a representante Marta Livia Suplicy e a jornalista de comportamento feminino, Kizzy Bortolo.

Leia Mais

Amazonas

Cileide Moussallem será a representante do Movimento Virada Feminina no Amazonas

Publicado

em

Brasil – O Movimento Feminino Global , intitulado de Virada Feminina, acaba de ganhar uma representante no Estado do Amazonas. Cileide Moussallem Rodrigues, empresária da Comunicação no Estado e idealizadora do Portal de Notícias CM7, é a mais nova representante do Virada Feminina no Amazonas.

Com alcance mundial e com notável ações de políticas sociais voltadas para as mulheres, o movimento vem crescendo e ganhando cada vez mais adeptos e incentivadores. Com atuação forte no combate à exploração sexual e discriminação e violência contra a mulher, a Instituição Virada Feminina conta com grandes expoentes no Brasil e no mundo.

Personalidades como a Primeira Dama Brasileira, Sra. Michele Bolsonaro, apoia o Movimento Virada Feminina, e hoje é considerado o movimento feminino que mais cresce no País e no mundo.

Feliz e sentindo-se reconhecida pelo seu papel no âmbito da causa feminina, a empresária amazonense Cileide Moussallem agradeceu a confiança depositada, e prometeu honrar com muito trabalho e dedicação o posto, agora ocupado.

O convite partiu da presidenta nacional, Dra. Martha Lívia e da ex-deputada Fátima Pelais. Cileide, que atua a muitos anos em fazer o bem através de doações, agora terá o apoio de uma rede nacional de ações em favor dos Direitos das Mulheres.

fonte: https:///portalcm7.com

Leia Mais

Mais lidas