Connect with us

Polícia

Mais de 300 motoristas de aplicativo participam do cortejo do colega assassinado

Publicado

em

Pelo menos 300 motoristas de aplicativo irão acompanhar o cortejo do corpo de Higson Cavalcante Ramos, 49, encontrado na véspera do feriado e, que será enterrado no início da tarde deste sábado, 7, no cemitério Parque de Manaus Tarumã, Zona Oeste da cidade.

O grupo vai sair em carreata do Instituto Médico Legal (IML), na Cidade Nova, Zona Norte, onde estão neste momento aguardando a liberação do corpo que, devido ao avançado estado de decomposição, seguirá imediatamente para o enterro, sem velório.

Motorista de aplicativo, Higson estava desaparecido desde a última terça-feira, 3, e seu corpo foi encontrado três dias depois, na noite desta sexta-feira, 6, na estrada do ramal do Brasileirinho, na Zona Leste, com perfurações na região do tórax.

Segundo informações coletadas pelo Amazonas1, o corpo foi encontrado pela Polícia Militar (PM) após denúncia anônima de um morador da região, que afirmou ter sentido um forte odor vindo da mata. Durante a busca, o corpo foi encontrado com diversos golpes deferidos no peito e pescoço e uma faca, supostamente utilizada no crime. O cadáver já estava em avançado estado de decomposição.

Após o corpo ser retirado e encaminhado ao IML, colegas motoristas de aplicativos que acompanhavam o caso e ajudaram nas buscas realizaram carreata em protesto e concentração no IML até que a confirmação de identificação do corpo fosse realizada.

Um adolescente suspeito de ter participado no assassinato do motorista Higson Cavalcante foi preso na noite de ontem pela polícia, após denúncias anônimas de que ele estaria envolvido. Outros suspeitos que também teriam participação no crime estão foragidos.

“Nosso pedido é que a Polícia Militar reforce mais a segurança, faça mais blitzes, parem os carros, e que os aplicativos reforcem mais a segurança também. Precisamos de mais segurança e justiça. Espero que todos os envolvidos na morte do colega sejam presos e condenados”, disse o motorista de aplicativo Samuel Augusto, que estava contribuindo para as buscas e informações sobre o desaparecimento do colega Higson Cavalcante.

Os colegas de profissão estão revoltados e pedem justiça às autoridades e providências em relação à segurança, já que essa é a terceira morte este ano de motorista de aplicativo por assaltantes.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de aplicativos de mobilidade urbana da cidade de Manaus para solicitar posicionamento sobre o caso ocorrido e quais medidas protetivas de segurança dão aos motoristas, mas até o fim desta matéria não obteve resposta.

Prisão

Conforme nota enviada pela polícia, o adolescente de 16 anos, suspeito de envolvimento no assassinato do motorista de aplicativo, Higson Cavalcante, foi preso ainda nesta sexta-feira, 6, por policiais militares da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães).

De acordo com o relato do adolescente, ele e mais dois homens solicitaram, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte, a corrida via aplicativo, atendida pela vítima, onde seguiram para o Ramal do Brasileirinho. O infrator informou que o objetivo dos autores, inicialmente, era roubar o veículo de Higson, que foi morto com uma facada no peito.

O adolescente apreendido foi conduzido pelos policiais militares para ser apresentado na Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai).

Leia Mais
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − seis =

Polícia

Jovem é executado por pistoleiros na zona leste de Manaus

Publicado

em

Renan Melo de Oliveira, 23, morreu após ser alvejado com vários disparos de arma de fogo, na noite deste sábado (20), na rua Eucalipto, bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP), o crime aconteceu por volta de 22h40, quando Renan e um amigo de 21 anos, estavam na rua Eucalipto. Um carro modelo celta, de cor e placa ainda não identificadas, se aproximou dos jovens e disparou diversas vezes em direção a dupla, fugindo logo em seguida.

Os jovens foram socorridos e levados para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Platão Araújo, onde por volta de 23h, Renan não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

A outra vítima, de 21 anos, foi alvejado por quatro disparos de arma de fogo, em várias partes do corpo e segue internado no hospital. O caso corpo de Renan foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML).

 

Leia Mais

Amazonas

Após tentar fugir da polícia, homem é preso com drogas e armas na zona centro-oeste de Manaus

Publicado

em

Um homem, que não teve sua identidade revelada, foi preso em uma casa no beco Santa Terezinha, no bairro Dom Pedro, na zona centro-oeste da Capital, após tentar fugir da polícia nesta sexta-feira (19).

Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, as equipes estavam patrulhando na região quando avistaram o suspeito, que tentou fugir pulando por telhados de casas no local, se escondendo em uma quitinete, posteriormente.

Após os policiais fazerem as buscas na região, encontraram o suspeito, com um revólver 38, seis munições, um simulacro caseiro, uma balança de precisão, um bloco de registros, além de 5 porções de cocaína, 21 porções de maconha e 242 pinos de cocaína.

O homem e seus pertences foram apreendidos e encaminhados ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), com os procedimentos sendo adotados no local.

 

Leia Mais

Amazonas

Homem é esfaqueado pelo irmão durante briga familiar em Manaus

Publicado

em

Uma discussão entre familiares foi parar na polícia e no Hospital e Pronto Socorro Platão Araújo, após um deles ser esfaqueado, enquanto tentava impedir uma briga. O caso aconteceu na noite desta sexta-feira (19), no bairro do Mutirão, na zona norte de Manaus.

Segundo os policiais que atenderam a ocorrência, Breno dos Santos, 25, foi levado ao hospital com uma facada no braço. Segundo Santos, a confusão aconteceu após ele chegar em casa e ver o irmão brigando com a irmã, sendo esfaqueado enquanto tentava intervir.

Breno, antes de ser levado ao hospital, ficou agonizando, recebendo ajuda de sua família, posteriormente. Ele foi encaminhado para a emergência e não corre riscos de vida. O suspeito ainda não foi preso. A polícia civil deve assumir as investigações do caso.

De acordo com o hospital, Breno está consciente e ficará em observação pela equipe do hospital até receber alta médica.

 

Leia Mais

Mais lidas