Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Médicos do Amazonas diminuem atendimentos em Manaus em forma de protesto e exigem pagamento de salários atrasados

O Hospital 28 de Agosto, em Manaus, está entre as unidades com redução de atendimentos — Foto: Patrick Marques/G1

Protesto de médicos no Amazonas afeta atendimentos e cobra melhorias no sistema de saúde público

A partir desta sexta-feira (1º), os médicos do Amazonas decidiram reduzir os atendimentos aos pacientes do estado em um protesto para cobrar salários atrasados e melhorias no sistema público de saúde. Até o momento, o Governo do Amazonas não se manifestou sobre o ocorrido.

O protesto afeta principalmente os atendimentos não urgentes da rede ambulatorial, que inclui unidades como os hospitais 28 de Agosto, João Lúcio e Platão Araújo, além dos SPAs e UPAs. O diretor da Cooperativa de Clínica Médica, Victor Hugo, explicou que a redução dos atendimentos abrange as consultas agendadas em políclinicas e outras instituições médicas.

As pessoas que tiverem suas consultas canceladas durante o protesto deverão reagendar os atendimentos. No entanto, os atendimentos urgentes e emergentes continuam sendo realizados em todas as unidades.

Os médicos estão reivindicando o pagamento dos salários atrasados referentes aos meses de agosto, setembro e outubro de 2023, além dos débitos de 2021 e 2022. Além disso, eles também pedem o abastecimento das unidades de saúde com materiais para atendimento hospitalar, como medicamentos e materiais para cirurgias.

A falta desses materiais tem impactado diretamente no tratamento dos pacientes, resultando em improvisos e substituições constantes. O médico Victor Hugo destacou o caso da Fundação Hospital do Coração Francisca Mendes (FHCFM), onde as máquinas de cateterismo estão paradas, o que tem causado atrasos nos exames e procedimentos cardíacos dos pacientes.

Um documento, assinado por 15 instituições que representam médicos no Amazonas, foi entregue ao governo na quarta-feira (29). O secretário de Saúde do Amazonas, Anoar Samad, confirmou o recebimento das reivindicações e informou que já solicitou à Secretaria de Estado da Fazenda a liberação de mais de R$ 453 milhões para o pagamento das despesas atrasadas. No entanto, até o momento a Sefaz-AM não se pronunciou sobre o assunto.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/12/01/em-protesto-medicos-do-am-reduzem-atendimentos-em-manaus-e-cobram-salarios-atrasados.ghtml