Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Netanyahu convoca embaixador após declarações de Lula sobre Holocausto

Foto: divulgação

Global – No último domingo (18), Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, veio à público responder as afirmações feitas pelo presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que criticava operações israelenses na Faixa de Gaza e a interrupção de auxílios humanitários à população local.
O discurso de Lula foi considerado por Netanyahu como um “ultrapassar de limites”, em referência ao trecho onde Lula comparou a morte de palestinos na região com a carnificina de judeus feita por Adolf Hitler, durante uma viagem oficial à Etiópia.
“Os comentários do presidente brasileiro são uma desgraça e uma ofensa. É uma trivialização do Holocausto e um esforço para desacreditar o povo judeu e o direito de Israel à autodefesa”, divulgou o primeiro-ministro israelense em sua conta oficial na rede social X.
Adicionalmente, ele informou que convocou o embaixador brasileiro em Israel para um sério diálogo de reprovação. Israel Katz, ministro das Relações Exteriores de Israel, também reproduziu no X que o comentário de Lula foi “desrespeitoso” e confirmou que o embaixador brasileiro foi chamado para explicações.

Ainda mais cedo, Lula comparou as perdas de vidas de civis em Gaza a “um genocídio”, criticou as nações desenvolvidas por reduzirem ou cessarem os auxílios humanitários na região e afirmou que “o que está ocorrendo na Faixa de Gaza com os palestinos nunca aconteceu em qualquer momento da história. De fato, aconteceu quando Hitler decidiu aniquilar os judeus”.
Este tipo de comentário se tornou alvo de repercussão negativa de organizações como a Conib (Confederação Israelita do Brasil), que publicou uma nota de repúdio à comparação, afirmando que a afirmação do presidente é uma “distorção perversa da realidade”.
“Os nazistas exterminaram 6 milhões de judeus indefesos na Europa, justamente por sua judaicidade. Enquanto isso, Israel está na defensiva contra um grupo terrorista que invadiu o país, causou mais de mil mortes, promoveu estupros coletivos, incendiou pessoas vivas e advogou em sua carta de fundação a eliminação do estado judeu”, prossegue o comunicado da Conib.
Por outro lado, a Federação Árabe Palestina no Brasil reagiu à fala de Netanyahu e sugeriu que “talvez seja a hora de desfazer as relações com Israel”.
 

Fonte: https://cm7brasil.com/noticias/mundo/netanyahu-reage-a-fala-de-lula-sobre-holocausto-e-convoca-embaixador/