Connect with us

Brasil

O Brasil não irá restringir a entrada de chineses mesmo com essa imundice de coronavírus por aí

Published

on

O ministério da Saúde (MS) afirmou hoje (29) que não fará qualquer restrição à entrada de chineses no Brasil. Mesmo com a crescente epidemia dessa imundice chamada coronavírus que se alastrou pela China – o governo brasileiro não fechará as portas para os chineses. A título de precaução, o MS tem recomendado que as pessoas evitem viajar para aquele país e que empresários evitem receber pessoas vindas da China para reuniões presenciais.

“Nossa recomendação é que não se viaje para a China. Não cabe ao governo brasileiro recomendar que os chineses saiam de lá ou não, mas estamos recomendando as empresas brasileiras que evitem reuniões presenciais com pessoas que vieram da China”, disse José Gabbardo dos Reis, secretário-executivo do MS.

O ministério também considera que a recomendação do próprio governo chinês para que sua população evite viajar ajudará a reduzir o fluxo de visitas. “Essa recomendação pode até virar restrição, mas isso não tem interferência nossa”, acrescentou o secretário-executivo.

Questionado, o diretor do Departamento de Imunização de Doenças Transmissíveis, Julio Croda, disse que a medição de temperatura do visitante ao chegar no país não é uma medida efetiva e, por isso, não há preocupação em aplicá-la. A recomendação para os que chegaram da China há poucas semanas é procurar uma unidade de saúde assim que surgirem os sintomas de febre e tosse.

Croda, no entanto, destaca que caso os sintomas não sejam graves, a pessoa pode se manter isolada em casa. Com isso, há diminuição, inclusive, da circulação viral entre outros usuários das unidades de saúde. “É muito recomendado que se o paciente não apresenta sintomas que indiquem internação hospitalar, que possa ser feito isolamento domiciliar. Isso está no nosso protocolo”.

O potencial de letalidade do coronavírus ainda não é conhecido. O ministério aguarda dados mais completos da Organização Mundial de Saúde (OMS) a respeito das chances de morte dos portadores do vírus. O recomendado, até o momento, são medidas básicas de higiene para reduzir as chances de contrair o coronavírus: lavar as mãos regularmente e levar a mão à boca na hora de espirrar.

Em 2005, outro tipo de coronavírus, a chamada Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), contaminou mais de 8 mil pessoas, matando cerca de 800. O que o MS sabe é que o novo vírus é menos perigoso, mata menos que a Sars, mas se espalha com mais facilidade.

Carnaval

Por enquanto, o ministério não considera adotar nenhuma medida que altere de alguma forma as festas de carnaval, que acontecerão na segunda metade de fevereiro. A princípio, explicou Gabbardo, serão feitas ações visando a prevenção. Mas esse planejamento pode mudar caso o quadro da epidemia comece a evoluir no Brasil. No momento, não existe nenhum caso confirmado de pacientes portadores do coronavírus no país.

“Não existe nenhuma decisão do ministério da Saúde, neste momento, de alguma interferência ou intervenção mais drásticas em relação ao carnaval. Vamos divulgar para as pessoas o que elas podem fazer para reduzir a possibilidade de transmissão. Vai depender do que acontece nos próximos dias e semanas. Não é uma decisão definitiva”.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson de Oliveira, acrescentou que o Brasil está no verão e que, por isso, é muito pequena a possibilidade de uma doença respiratória se alastrar por aqui nos moldes do que ocorre na China. Por isso, nenhuma medida mais extrema será tomada a menos que seja realmente necessário. “Não vamos tomar nenhuma medida de exceção por precaução, fazendo ações que impliquem na decisão das pessoas sem termos muita clareza da tomada dessa decisão”.

O Ministério da Saúde (MS) informou hoje (29) que existem nove casos considerados suspeitos de coronavírus no Brasil. São três casos em São Paulo, dois em Santa Catarina, e um caso nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná e Ceará.

Atualmente, 6.165 casos foram confirmados em todo mundo, sendo 6.070 somente na China. Naquele país 133 pessoas já morreram por conta do coronavírus. A doença chegou a 15 outros países, como Japão, Estados Unidos, França, Austrália, Emirados Árabes e Alemanha. Hoje foi confirmado o primeiro caso na Finlândia. Não houve ainda nenhuma morte em outros países.

A Agência Brasil preparou um vídeo sobre o caso;

https://youtu.be/Z1Ter58zZb0

Brasil

Coronel Meneses da SUFRAMA emite nota. “Continuamos trabalhando para facilitar a vida de quem produz e gera empregos no nosso Estado! “.

Published

on

Manaus – Coronel Meneses emite nota e em sua rede social,  afirma: “continuamos trabalhando para facilitar a vida de quem produz e gera empregos no nosso Estado! “.

SUFRAMA permanece em prontidão e em contato direto com as entidades de classe da cadeia produtiva do Polo Industrial de Manaus a fim de ouvir as principais demandas e buscar soluções conjuntas e alternativas que contribuam para superar os desafios apresentados em consequência da crise econômica mundial decorrente dos efeitos do coronavírus.

veja nota oficial: Nota Oficial_vr_006

Fonte Portal CM7

Continue Reading

Brasil

Mulher com medida protetiva é morta a tiros pelo ex-companheiro enquanto trabalhava em Gravataí

Published

on

Segundo a polícia, Marcelo Fraga Pacheco, 36 anos, invadiu a lancheria e tirou contra Jocemara Ramão, de 37 anos. Ela havia registrado ocorrência contra o ex há menos de um mês.

Rio Grande do Sul: Uma mulher com medida protetiva foi morta a tiros pelo ex-companheiro enquanto trabalhava, em Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, na noite de sábado (14). Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu em uma lancheria, no bairro Salgado Filho.

Marcelo Fraga Pacheco, de 36 anos, invadiu a cozinha do estabelecimento e atirou contra Jocemara Ramão, de 37 anos. O homem, que tinha um revólver calibre 38, se matou após o crime, informou a polícia.

“Efetuou três disparos na vítima, sendo dois na cabeça e um na mão. Foi morta na cozinha da lancheira. Colegas de trabalho presenciaram [o crime]. Em seguida, o agressor desferiu um disparo no seu queixo. Ambos morreram no local”, disse o delegado Eduardo Amaral.

De acordo com a polícia, os dois ficaram juntos por 15 anos, mas estavam separados há cerca de um mês. O homem não teria aceitado o término da relação, segundo a investigação.

Jocemara havia registrado uma ocorrência contra o ex-companheiro por lesão corporal, ameaça e vias de fato.

“Recentemente, no dia 19 de fevereiro, ela havia registrado uma ocorrência de cárcere privado e solicitou medidas protetivas, as quais foram deferidas. O agressor foi ouvido na DEAM [Delegacia Especializada de Atendimento à Mulhes] e negou todas as acusações”, apontou o delegado.

Continue Reading

Brasil

É uma gripe, vamos passar por ela’, diz ministro da Saúde sobre caso suspeito de coronavírus em SP

Published

on

Em conversa com o blog, o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta evitou qualquer tom alarmista diante do primeiro caso de teste positivo do novo coronavírus no Brasil. O caso é de um homem de 61 anos, que mora na capital paulista e que voltou da Itália recentemente.

“Nós vamos nos preparar da melhor maneira. Mas é preciso ter calma. É uma gripe, vamos passar por ela e colocar todas as fichas na ciência”, disse o ministro da Saúde. “E não podemos perder a noção de humanidade”.

Segundo Mandetta, o Brasil tem características climáticas diferentes dos países do Hemisfério Norte, onde surgiu o vírus. Por isso, segundo ele, é preciso saber como esse vírus vai se comportar durante o verão de um país tropical.

“Não sabe se por aqui o vírus acelera ou desacelera. Os vírus se comportam de forma diferente no Hemisfério Norte e no Hemisfério Sul. Esse é um vírus que surgiu em baixa temperatura. Pode não ter o mesmo comportamento. Pode ser para melhor ou para pior”, ressaltou o ministro para em seguida completar:

“O Brasil é um país de pessoas mais jovens e está no verão. Esse é um período pouco propício para um vírus respiratório por aqui”.

Ele reconheceu a preocupação da população: “Há a pressão da opinião pública. Tem que ter muita calma. Transmitir calma, para evitar o alarmismo. E vamos atravessar essa gripe. Tentar minimizar o máximo o estresse”, comentou.

Nesta quarta-feira, o Ministério da Saúde fará uma entrevista coletiva para comentar o caso, já diante de um segundo teste. Segundo Mandetta, o Brasil já tem se preparado para vários cenários do coronavírus. E já acertou com o Conselho Federal de Medicina, inclusive, um protocolo para a abertura de leitos em caso de necessidade.

“É um inimigo muito difícil. Por isso, é preciso reforçar higiene, evitar lugares aglomerado e apostar numa vacina. Não tem como impedir a entrada no Brasil. Esse vírus chegou de num avião que veio de Milão. Não tem jeito”, observou.

Ele diz que o Brasil está em contato permanente com outros países da América do Sul para monitorar o vírus e que investiu recursos para a compra de equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde, além de ter laboratórios capacitados para fazer exames para identificar o novo coronavírus.

Fonte: G1

 

Continue Reading

Mais lidas