Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Queimadas na região metropolitana de Manaus têm redução de 93%, aponta relatório do governo.

Amazonas está em emergência ambiental por conta de queimadas. — Foto: William Duarte/Rede Amazônica

Governador Wilson Lima anuncia redução histórica de 93% nos casos de queimadas na Região Metropolitana de Manaus

Nesta terça-feira (17), o governador Wilson Lima divulgou uma notícia animadora para o estado do Amazonas. Segundo ele, houve uma redução de 93% no número de queimadas em municípios próximos a Manaus. Essa queda expressiva ocorreu após um reforço no efetivo para combater os incêndios na região.

O Amazonas enfrenta uma grave crise climática e está em situação de emergência ambiental devido às queimadas. O mês de outubro registrou números recordes de incêndios, causando uma onda de fumaça que invadiu a cidade de Manaus.

De acordo com o governo, entre os dias 8 e 10 de outubro, foram registrados 415 focos de calor nessa área específica. No entanto, esse número caiu para apenas 28 entre os dias 11 e 15 deste mês.

“Várias situações contribuíram para essa redução, como o reforço nas ações de combate aos incêndios e também as chuvas que caíram nos últimos dias, que ajudaram a diminuir significativamente os focos de calor aqui na região metropolitana”, avaliou o governador Wilson Lima.

Além disso, o governador anunciou que se encontrará nesta quarta-feira (18) com o vice-presidente Geraldo Alckmin, em Brasília, juntamente com outros ministros que estão envolvidos nessa questão da estiagem no estado do Amazonas. Durante a reunião, serão apresentados os resultados das ações já realizadas, e espera-se que novos anúncios sejam feitos pelo vice-presidente.

Para auxiliar no combate aos problemas causados pela estiagem, o ministro Sílvio Costa, de Portos e Aeroportos, garantiu que nos próximos dias serão iniciados os trabalhos de dragagem no trecho do rio Amazonas conhecido como Tabocal, próximo a Itacoatiara. Essa medida é importante, pois por esse trecho passam navios com insumos para a Zona Franca de Manaus.

Segundo o boletim diário divulgado pelo comitê responsável, 59 municípios já estão em situação de emergência e três estão em alerta, afetando aproximadamente 557 mil pessoas, ou seja, 138 mil famílias. Além disso, cerca de 6 mil alunos estão sendo afetados pela estiagem.

O Governo do Amazonas, em parceria com o Exército e a Marinha, já entregou, está em trânsito ou prontas para entrega, 40 mil cestas básicas como forma de ajuda humanitária. Além disso, o programa Merenda em Casa tem realizado a entrega de alimentos, com mais de 2,2 mil kits já distribuídos.

Apesar das dificuldades enfrentadas, o Rio Negro está em processo de descida, após registrar a maior vazante da história. Nesta terça-feira, o nível do rio chegou a 13,49m. Já em Tabatinga, o Rio Solimões registrou uma subida de 11 cm, reflexo das elevações dos rios peruanos Maranon e Ucaialy.

Uma boa notícia para a geração de energia também foi anunciada: a Hidrelétrica de Santo Antônio, no Rio Madeira, voltou a operar devido ao aumento no volume de água vindo dos rios das cabeceiras, provocado pelas últimas chuvas. Essa usina estava sem operar desde 1º de outubro.

Com todas essas ações sendo tomadas pelo governo, espera-se um alívio para a crise ambiental que assola o estado do Amazonas e uma melhoria na situação dos moradores afetados pela estiagem.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/18/focos-de-queimada-caem-93percent-na-regiao-metropolitana-de-manaus-aponta-governo.ghtml