Connect with us

Amazonas

Secretária de comunicação do AM, Daniela Assayag, pede exoneração após denúncias na CPI da Saúde e Operação Sangria

Publicado

em

Polícia Federal investiga suposto envolvimento do marido da secretária no esquema de superfaturamento na compra de respiradores para o Estado.

A secretária de comunicação do Governo do Amazonas, Daniela Assayag, pediu exoneração do cargo neste domingo (5). A Polícia Federal investiga o envolvimento do marido da secretária no esquema de superfaturamento na compra de respiradores para o Estado.

Daniela publicou no início desta noite, em suas redes sociais, o pedido de exoneração do cargo enviado ao governador Wilson Lima – que também é investigo pela PF dentro da operação Sangria. No texto, Assayag diz que a decisão foi tomada “em virtude dos acontecimentos que emergiram na última semana”. Ela cita a exposição de situações que questionam seus atos enquanto secretária de comunicação.

G1 tentou entrar em contato com Assayag, mas não obteve resposta. O governo também foi contactado, mas não deu retorno até a última atualização desta matéria.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde afirmou, na última quarta-feira (1), que o marido de Daniela é sócio de uma das empresas investigadas pela Polícia Federal no esquema de superfaturamento na compra de respiradores pelo governo durante a pandemia. O nome dela foi citado pelo ex-secretário de saúde, Rodrigo Tobias, ouvido pela CPI na segunda-feira (29).

Documentos apreendidos pela PF mostram que o médico e empresário Luiz Carlos Avelino Júnior, marido de Daniela, era o sócio oculto da Sonoar, nome fantasia da Andrade e Mansur Comércio de Materiais hospitalares. A empresa superfaturou a venda de 28 respiradores para a loja de vinhos FJAP, em oito de abril. No mesmo dia, a loja de vinhos revendeu os equipamentos ao governo do Amazonas por quase R$ 3 milhões, quantia 133% mais alta do que o valor de mercado.

Na operação Sangria, a PF prendeu oito suspeitos de envolvimento no esquema, entre eles, a secretária de Saúde, Simone Papaiz, e sócios das empresas envolvidas – todos já foram soltos. Já o governador Wilson Lima, do PSC, teve os bens bloqueados pela Justiça.

No mesmo dia em que houve a denúncia na CPI, Assayag afirmou que o marido não é sócio da empresa e que já teria iniciado processo de distrato com a mesma.

A empresária Renata Mansur, citada como sócia da Sonoar e presa na operação também citou o nome do marido da secretária de comunicação em depoimento à Polícia Federal. Ela afirmou, ainda, que foi coagida a ficar “quieta de tudo” porque o médico não poderia aparecer por ser esposo da secretária.

Confira o pedido na íntegra:

Solicito à V.Sa. a minha exoneração do cargo de Secretária de Comunicação do Governo do Estado do Amazonas, a partir da data de hoje, 05 de julho de 2020, em virtude dos acontecimentos que emergiram na última semana expondo situações em que a lisura de meus atos enquanto Secretária de Comunicação deste Governo está sendo questionada.

Acredito que minha saída da Secretaria de Comunicação permitirá que a apuração dos fatos possa se realizar com seriedade e profundidade. E que sejam esclarecidas as ilações sobre atitudes e comportamentos não condizentes com a minha prática profissional.

Reafirmo a certeza de ter exercido o meu papel com todos os requisitos técnicos e éticos exigidos no cumprimento de minha função frente à Secretaria de Comunicação deste Governo. Espero que minha atitude represente, mais uma vez, meus princípios de lutar pela apuração dos fatos com veracidade e justiça”.

Daniela Assayag possui mais de 24 anos de carreira na área de comunicação e jornalismo. Ela se formou em Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em 2001, e cursou especializações na área da comunicação em instituições como Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e ISE Business School.

Em 2014, Daniela Assayag ficou responsável pela gerência de jornalismo de um grupo de comunicação do Estado. O grupo era o mesmo onde trabalhava o governador Wilson Lima, que, na época, era apresentador de um telejornal.

Em 2019, Daniela Assayag tomou posse como secretária de Comunicação do Estado.

Amazonas

Carga de minério avaliada em R$ 11 milhões é apreendida no Rio Solimões

Publicado

em

A polícia apreendeu, durante fiscalização em embarcações que trafegam pelo rio Solimões, uma carga de minério avaliada em R$ 11 milhões, que vinha sendo transportada de forma ilegal por uma balsa. A ação ocorreu na noite de sexta-feira (05), próximo a um terminal em Coari (a 363 quilômetros de Manaus). De acordo com os policiais, em oito edições, essa é a apreensão com maior prejuízo ao crime já feita durante as revistas.

Segundo o relatório de ocorrência, os policiais realizavam abordagens em embarcações, quando avistaram a balsa transportando minério. Ao abordar o comandante da balsa, foi solicitado a licença ambiental para extrair e transportar o material. O proprietário então informou que não possuía o documento, sendo assim, estava com o material ilegal.

O suspeito foi autuado em flagrante por crime ambiental e levado a Base Arpão para prestar depoimento. O material foi periciado e apreendido. O minério foi levado para a unidade policial de Coari e deve ficar à disposição da Justiça.

 

Leia Mais

Amazonas

Motorista de app é executado enquanto tomava banho em casa na zona norte de Manaus

Publicado

em

O pedreiro e motorista de aplicativo Francisco de Oliveiras Lemos, 41, foi morto a tiros, na manhã deste sábado (6), dentro do banheiro da sua casa, na Rua Alameda A, Comunidade Nobre, bairro Lago Azul, zona norte de Manaus.

De acordo com o tenente Ronaldo Azevedo, da 26ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a guarnição foi acionada por volta das 9h, quando uma denúncia disse que um homem teria sido alvejado com disparos de arma de fogo.

“A denuncia foi através da linha direta e depois disso fomos ao local. Ao chegarmos fomos informados que a vítima estava tomando banho em um banheiro da área externa, quando dois homens encapuzados, a pé, entraram na casa e efetuaram vários disparos. Em seguida, fugiram”, disse.

O local pertence a vítima, onde morava com outras três pessoas. Na hora da invasão, essas pessoas estariam dentro do quarto. Parentes do pedreiro chegavam a todo momento, bastante abalados, mas não quiseram dar entrevista.

Segundo o delegado Guilherme Antoniazzi, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o Departamento de Polícia Técnico-Científico (DPTC) identificou que a vítima foi alvejada por
17 disparos de arma de fogo.

“Possivelmente, pela quantidade de disparos foi um acerto de contas, mas ainda não podemos confirmar se tinha envolvimento com tráfico de drogas. A família bastante abalada, não deu muitas informações se a vítima estava recebendo ameaças de morte. Nós vamos continuar investigando para elucidar esse caso”, completou.

O delegado também disse que Francisco tinha o apelido de Kito na região.

O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e o corpo da vítima foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML).

Fonte: D24am.

Leia Mais

Amazonas

Polícia alerta a população para golpes aplicados em plataformas online de compra e venda

Publicado

em

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), alerta a população a respeito de golpes recorrentes nas plataformas de compra e venda pela internet.

De acordo com o delegado Vinicius de Melo, titular da unidade policial, os estelionatários responsáveis por essas fraudes agem de outros estados brasileiros, clonando anúncios das plataformas de venda on-line, originalmente publicados por usuários da capital amazonense.

“As vendas realizadas por meio das redes sociais também oferecem riscos aos usuários, como em casos de vendas de aparelhos celulares, em que o anunciante entrega o produto e não recebe o depósito prometido pelo golpista. Observamos que, além dos celulares, automóveis também são colocados nos golpes”, explicou ele.

Conforme o titular do 6° DIP, quando um negócio é realizado, ele deve ser definido com parâmetros de segurança, pois neste período de pandemia, os estelionatários estão se aproveitando do estado de vulnerabilidade emocional da população.

Outra prática dos criminosos é a oferta de empréstimos via aplicativo de mensagens instantâneas. O delegado relata que os indivíduos buscam números de Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) de empresas de financiamento no site da Receita Federal (RF) e se apresentam como representantes delas, afirmando que as vítimas tiveram empréstimo aprovado e solicitam depósito bancário.

Para evitar ser vítima desse tipo de crime, o delegado Vinicius orienta que a população evite realizar depósitos bancários em dinheiro para agências com origem em outros estados.

“As pessoas que forem vítimas desses golpes podem registrar um Boletim de Ocorrência (BO) pelo site da Polícia Civil, no endereço eletrônico www.delegaciainterativa.am.gov.br, ou, em casos de urgência, procurar a delegacia mais próxima”, destacou.

 

Leia Mais

Mais lidas