Connect with us

Política

Governador Wilson Lima apresenta medida que o Estado tem tomado para combater o desmatamento ilegal

Publicado

em

Brasil – O governador Wilson Lima se reuniu, nesta quarta-feira (20), em Brasília, com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e demais governadores da Amazônia Legal. No encontro, Wilson Lima ressaltou as medidas que o Estado tem tomado para manter 97% da sua floresta preservada e o que também já executa para combater o desmatamento ilegal, principalmente na região sul do Amazonas.
 
“Nós estivemos aqui conversando com o ministro Ricardo Sales e todos os governadores que fazem parte do consórcio da Amazônia Legal para tratar de assuntos que a gente já vinha tratando há algum tempo e que são prioritários devido àquela situação de desmatamentos e de queimadas, a questão da regularização fundiária, o zoneamento econômico/ecológico, a questão dos créditos  por serviços ambientais ou qualquer outro tipo de monetização para os recursos ambientais que nós temos e a questão da bioeconomia”, afirmou Wilson Lima.
 
Além de Wilson Lima participaram os governadores dos estados que compõe a Amazônia Legal: Helder Barbalho (Pará); Gladson Cameli (Acre); Waldez Góes (Amapá); Antônio Denarium (Roraima); Roberto Rocha (Rondônia); Mauro Mendes (Mato Grosso); Flavio Dino (Maranhão) e Mauro Mendes (Tocantins); além do secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), Carlos Alexandre da Costa, e parlamentares.
 
O governador do Amazonas destacou que 91% do desmatamento no Amazonas está concentrado em municípios do sul do Estado, que vem sofrendo grande pressão da expansão da fronteira agrícola de outros estados da região e que este já é um padrão identificado pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente. Ele ressaltou também que a região tem sido foco das ações de combate ao desmatamento ilegal desde o início de 2019. Entre as ações, o Governo do Estado decretou situação de emergência no sul do Amazonas para combater as queimadas e o desmatamento ilegal, o que culminou na redução dos focos de calor em quase 70% no mês de outubro.
 
Wilson Lima aproveitou para tratar com o secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), Carlos Alexandre da Costa, da inclusão mais efetiva do Amazonas nas discussões do grupo sobre polo de bioeconomia na Zona Franca de Manaus.
 
“Para que a gente possa desenvolver esse projeto da bioeconomia, desenvolver produtos que nós temos na Amazônia e que esses produtos possam ter valor agregado. Porque, hoje, o que acontece, é que nós ficamos com o serviço mais difícil e recebemos menos por isso. E esse produto é beneficiado em outro lugar, gerando emprego e renda, e a maior parte dos recursos fica nesses locais. Então, é nesse sentido que a gente está caminhando de fortalecer as cadeias produtivas agregando valor a elas”, afirmou.
 
Cúpula do Clima – Os governadores e o ministro ainda definiram o posicionamento do Brasil durante a 25ª Conferência Internacional sobre Mudança Climática (COP 25), que será realizada em Madri na Espanha, no mês que vem. Wilson Lima disse que há um consenso entre os governadores e o Governo Federal de que é preciso deixar claro o artigo 6º do Acordo de Paris, que prevê compensações, monetização pelos recursos ambientais e pela preservação.
 
“Há um posicionamento muito firme dos governadores e do Governo Federal que não tem como a gente assinar nenhum termo de compromisso sem que haja algum tipo de contrapartida, porque a conservação da Amazônia tem um preço. Nós elencamos como fundamentais alguns pontos nesse processo de preservação: regularização fundiária, zoneamento econômico/ecológico, monetização dos recursos ambientais e aí entra crédito de carbono entre outros serviços ambientais, e a questão do desenvolvimento da bioeconomia. Esses são quatro pilares importantes para que a gente possa de forma segura garantir o desenvolvimento sustentável e aumentar esse processo de conservação, preservação da Amazônia”, disse Wilson Lima.
 
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disse se tratar de uma posição institucional do Governo Federal com os governos estaduais. “Cada um dos estados tem os seus desafios. Desafios que passam pelo zoneamento econômico/ecológico de cada um no modelo que foi feito e que poderia ter avançado, dificuldades de regularização fundiária, dificuldades de diversas naturezas. Cada um tem aqui peculiaridades no seu estado, mas todos encontram aqui no Governo Federal um guarda-chuva de representatividade de todos esses pontos. Então, cada um desses quatro, a partir de comando e controle e fiscalização, o recurso aqui que nós estamos vislumbrando receber de origem internacional é para destinar justamente aos Estados”, declarou o ministro.
 
Fundo Petrobras – Um dos principais temas em discussão com os governadores foi a aplicação de R$ 230 milhões do Fundo Petrobras a serem destinados ao Ministério do Meio Ambiente. Outros R$ 430 milhões do fundo devem ser destinados diretamente aos nove estados da Amazônia Legal.
 
Os governadores foram ao Supremo Tribunal Federal (STF) reunir com o ministro Alexandre de Moraes, que validou no mês de setembro, o acordo assinado pelo Governo Federal, representantes da Câmara e Senado e Procuradoria Geral da República (PGR) para uso do Fundo da Petrobras.
 
O encontro foi para esclarecer as modalidades desses recursos e tratar da possibilidade de repasse para os fundos estaduais de meio ambiente. Segundo Wilson Lima, o ministro entende que os recursos devem ser repassados diretamente para os estados.
 
Dados do Desmatamento – A análise dos dados feita pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) demonstra ainda que 40% do desmatamento total do estado está concentrado em áreas de domínio federal, com maior incidência em áreas de projetos de assentamento do Incra (34%). As unidades de conservação de gestão exclusiva do Governo do Estado representam 0,32% do desmatamento total. Considerando ainda que estas áreas protegidas estaduais representam 12% de todo o território do Amazonas, fica evidenciado que a estratégia tem sido exitosa no combate ao desmatamento.
 
Desde o início da gestão, o Governo tem se comprometido com o combate ao desmatamento ilegal no Estado. O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), responsável pelo licenciamento e fiscalização, está sendo modernizado com o objetivo de aumentar a transparência, rapidez dos processos e com isso combater a corrupção, que facilita o desmatamento ilegal. Além disso, o Governo, por meio da Sema, está construindo a 3ª fase do Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado do Amazonas (PPCDQ-AM), com ações para redução do desmatamento ilegal.
 
O Amazonas captou também, junto ao Fundo Amazônia, recursos para apoiar a inscrição e análise de empreendimentos no Cadastro Ambiental Rural (CAR) em 36 municípios do estado, registro público obrigatório para propriedades rurais com a finalidade de integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais referentes a situação de Áreas de Preservação Permanente (APP), de reserva legal, das florestas e remanescentes de vegetação nativa, das áreas de uso registro e das áreas consolidadas, compondo uma base de dados para o combate ao desmatamento.
 

 

Amazonas

Prefeito de Iranduba da “piti” e destrata reportagem: Veja o vídeo

Publicado

em

Moradores do bairro Novo Amanhecer, relatam todas as dificuldades que os moradores vêm sofrendo a mais de 36 anos, muda o gestor do município e o problema continua o mesmo.

Os moradores da comunidade, cobram do prefeito Augusto Ferraz sua promessa de campanha que os problemas que assolam a comunidade iriam ser solucionados, o morador procurou os órgãos municipais para se embasar e cobrar uma solução de Ferraz.

Tubos para a realização de inicializar a infraestrutura de esgotamento das ruas, estão no local a mais de três gestões anteriores, um morador cedeu uma parte de seu terreno para que a referida obra venha a ser realizada, mais o pedido não foi atendido, cansados de tantas promessas os moradores procuraram a reportagem do CM7 com o intuito de obter uma resposta e um prazo para que a obra ao menos seja iniciada.

Existe um documento que comprova a solicitação de serviço, já na gestão de Ferraz, as imagens demostradas na reportagem, revelam que a falta de esgotamento e meio fio fazem com que as ruas venham a diminuir por estarem cedendo com as chuvas e com o trafego na via, acidentes já aconteceram no local, assim diz o morador.

Com o descaso com a população, até mesmo o Vasco time de futebol carioca está tendo mais credito que o prefeito de Iranduba. Após percorrer ruas do bairro, foi visto a necessidade clara de fazer a rede de esgoto, pontes e asfalto, pois nem todas as ruas possuem asfalto.

A equipe de reportagem de perto a realidade daquele bairro, e os outros que não visitaram? Como será que está? Com a intenção de ajudar aquelas famílias se dirigiram a prefeitura e acompanhar o morador que procura melhorias.

Chegando a prefeitura, onde o prefeito Augusto Ferraz despachava de seu gabinete, a equipe de jornalismo do CM7 foi recepcionada por um assessor de Ferraz, que propôs que a equipe voltasse um outro dia, o repórter disse que estavam lá aproveitado o ensejo, e verificar o que poderia ser feito para a comunidade, após aguardarem por mais de uma hora na recepção da prefeitura, o comunitário que estava sendo acompanhado pela reportagem adentrou o gabinete do prefeito, a equipe de reportagem tentou acompanhar a conversa e foram impedidos. O repórter diz que está acompanhando o comunitário o prefeito pergunta “Qual a bronca, a gente está acompanhando-o, Ferraz responde “Quero não” o repórter o questiona o prefeito o por que “Eu não quero… por que eu não quero” repórter volta a questionar do que o senhor está com medo, “Eu não tenho medo de ninguém, só tenho medo de DEUS” repórter insiste só uma palavrinha “Por Favor” disse Ferraz apontado para a saída, o repórter insiste com o questionamento sobre o prefeito ter ido as ruas e solicitar votos “um abraço… um abraço” diz o prefeito, é quando o prefeito puxa o documento e coloca na mesa de Ferraz e diz que procurou o secretário de infraestrutura e o mesmo disse que o prefeito não vai fazer nada por aquela comunidade. A reportagem insiste em pedir para acompanhar a conversa, o repórter insiste em dizer ao prefeito que o pedido inicial não havia sido na gestão atual, mas que a comunidade quer uma resposta sobre o fato, um prazo para que a solicitação de melhoria comece.

Com a intensão de intimidar a reportagem do CM7, a equipe do prefeito começa a filmar, o repórter insiste e pede dois minutos, uma palavrinha do prefeito. E sem sucesso a equipe sai do local sem uma entrevista curta com Ferraz. Mostrando o total desrespeito do prefeito não somente com a reportagem, mas com a população em geral.

A reportagem informou ao prefeito que retornará dia 30 para saber o que foi atendido e poderá ser feito pela população local. A reportagem foi “expulsa” do local sem uma resposta.

Leia Mais

Amazonas

Roberto Cidade cobra instalação de subestação de energia em Borba

Publicado

em

Amazonas – O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado Roberto Cidade (PV), apresentou um Requerimento em forma de Indicação à Amazonas Energia a fim de que a concessionária faça a instalação de uma subestação de energia elétrica no distrito de Canumã, no município de Borba (distante 151 km de Manaus em linha reta).

O local atualmente é abastecido pelo linhão de Nova Olinda do Norte (135 km) e por conta da distância tem sofrido constantes apagões que demoram a ser solucionados.

De acordo com Roberto Cidade, os moradores do distrito de Canumã sofrem o problema diariamente, resultando na queima de eletrodomésticos e impactando também no comércio local.

“O distrito de Canumã tem 11 mil moradores e essas pessoas sofrem diariamente com a falta de energia elétrica. Por isso, se faz necessário o esforço da empresa na construção de uma subestação de energia elétrica no distrito. Isso certamente resultará em uma melhor prestação de serviços, bem como numa economia para todos”, afirmou.

FONTE: CM7

Leia Mais

Amazonas

Vulgo ‘Venezuelano’ é executado com tiros na cabeça no Centro de Manaus; cenas fortíssimas

Publicado

em

 

Manaus (AM) – Na tarde desta segunda-feira (12), por volta das 14h15, um homem apenas identificado como vulgo ‘Venezuelano’ foi brutalmente assassinado na Rua Tamandaré, no bairro Centro, zona centro-sul de Manaus.

Informações preliminares da Polícia Militar do Amazonas (PM/AM), dão conta de que o homem estava marcado para morrer, pois era acostumado a realizar assaltos na região da Praça Dom Pedro e Matriz.

Ainda de acordo com informações, ‘Venezuelano’ estava caminhando na rua dos bares quando foi alvejado por outro criminoso. Ele ainda tentou correr para se salvar dos tiros, mas foi alvejado e morreu.

O assassino correu e conseguir fugir do local. Os policiais militares da 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) estiveram presentes na ocorrência e isolaram toda a cena do crime para que o Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) pudesse coletar provas do homicídio, que deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado e removeu o corpo homem do local. Até o fechamento desta matéria não houve informações sobre o retrato falado do assassino.

FONTE: CM7

Leia Mais

Mais lidas