Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Zona Franca de Manaus: novos investimentos na economia geram mais emprego e menos impactos ambientais

Amazonas – A Zona Franca de Manaus (ZFM) é uma das principais fontes de riqueza do Estado, gerando faturamento superior a R$ 72 bilhões e aproximadamente 108 mil empregos. No entanto, o conhecimento sobre suas vantagens e investimentos ainda passa despercebido pela população. Além de promover emprego e renda concentrados no Polo Industrial de Manaus (PIM), a ZFM também é responsável por minimizar os impactos ambientais, garantindo a preservação da floresta em benefício da humanidade. As empresas investem na região através de incentivos relacionados ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), implementados por meio da aprovação de projetos técnico-econômicos junto ao Conselho Estadual de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam). Entre as formas de investimento estão o recolhimento de contribuições para o Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social do Estado do Amazonas (FMPES), o Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) e a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Geração de emprego e renda A economista Denise Kassama destaca a relevância desses investimentos, ressaltando que eles são aplicados no Estado, impulsionando o Produto Interno Bruto (PIB) do Amazonas, que é o quinto maior do Brasil. Os tributos arrecadados também se transformam em bens e serviços para a população, beneficiando a UEA e as comunidades interioranas. Entretanto, o especialista Inaldo Seixas aponta que o potencial da ZFM poderia ser ainda maior. Ele questiona se os políticos estão aproveitando adequadamente esse modelo enquanto ele está vigente. A existência da Zona Franca não garante automaticamente a riqueza da cidade, pois é necessário um planejamento adequado e uma gestão eficiente dos recursos gerados. Inaldo também ressalta que a ZFM contribui para uma melhor renda per capita e melhora o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Porém, ele destaca desafios a serem enfrentados, como a questão do saneamento e a poluição dos rios, além da falta de moradia e problemas de mobilidade. As forças políticas precisam fazer sua parte para garantir que o desenvolvimento gerado pela Zona Franca seja mais equitativo, reduzindo as desigualdades sociais e mitigando os impactos negativos e socioambientais. Em resumo, a Zona Franca de Manaus é um importante motor econômico para o Amazonas, mas é essencial uma gestão responsável para que seus benefícios alcancem toda a sociedade e garantam um desenvolvimento sustentável para a região.

Fonte: Portal Cm7